quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Barco à Deriva


 Deixei o barco à deriva
Espero um sinal dos mares
Não quero planos, quero fatos...
Não existe âncora, vou ao sabor do vento...

À deriva está a mulher com fama de pirata
A que saqueava, tomava, conquistava e partia
A que não vê mais graça nessa brincadeira
É chegado o tempo das marés baixas...

Passo a passo o céu retoma sua cor
Dia após dia a mulher marujo segue
Rabugenta e feliz. Bem humorada, mas triste.
Sorrindo por não saber chorar em público.

Nunca um inverno foi tão frio...
Mas esse amanhecer é diferente
Algo novo brilha no horizonte
Os ventos trazem boas novas

O barco continua à deriva
Mas, agora tudo poderá ser oposto...


Anna Araujo - 15/08/2013

sábado, 10 de agosto de 2013

Presença Marcante (Luz dos Olhos)



Traços sutis de presença marcante
Olhos azuis ou talvez verdes
Prefiro não ter certeza
Se olhasse mais de perto poderia me perder
E talvez não mais me achasse...

Falar que emana poesia, a poesia da vida.
Sorriso tímido, olhar malicioso.
Menino em corpo de homem, ou inverso.
Desenho perfeito, verso humano, arte viva...

Se fosse só por beleza seria fácil
Aparência é oferta do mundo
Todos querem, todos se enfeitam
Mas existe uma diferença
A consciência, que encanta e conquista.

És belo sim, isso é fato!
Mais belo ainda é seu interior
É a luz de seus olhos
É a doçura que emana de seus gestos

Beleza tem em sua alma de pirata
Que conquista sem luta armada
Sem se quer saber que luta
Simplesmente passa e toma para si...
Espalhando leveza e doçura,

Beleza de alma!

Anna Araujo – 08/08/2013


Quando quero falar algo especial para alguém escrevo um poema, mas raramente entrego, deixo que as palavras sejam entregues pelo vento...