sábado, 8 de junho de 2013

Viva



Desço das lembranças e abraço os dias...
Às vezes choro pelos sonhos que se foram
Às vezes gargalho pelos que ainda viram
E constantemente sorrio, por estar sendo...

Às vezes acho o mundo uma merda, tudo errado.
Aí paro e me lembro do agradecimento ao elogio:
São seus olhos! Sempre são nossos olhos...
Somos responsáveis pelo que vemos
(Ou por como vemos!)

Os ouvidos não tem pálpebras
Mas o corpo tem pernas
Se não gosta do que ouve
Ande até achar o que gostar

E lembre-se: Se ainda não existe o problema
Também não existe solução possível
Não tente antecipar a vida...
O destino é o melhor escritor que conheço.

Viva, seja livre...
Se livre do que não te serve
Sirva ao que te serve
Seja justo e fiel
(Aos seus conceitos)

Anna Araujo – 22/04/2013